2 itens que não podem faltar em uma campanha de marketing político digital
26 abr 2022
Compartilhar

2 itens que não podem faltar em uma campanha de marketing político digital

299 Views

Entenda como funcionam os novos padrões do Marketing Político Digital e quais são as suas semelhanças com o Marketing Digital.
Ainda explorado indevidamente, o marketing político digital é a grande aposta para as eleições de 2022, sobretudo para campanhas de maior maturidade.

O conteúdo nas redes sociais, sites e outros canais é infraestrutura de visibilidade. Você sabe o que é visibilidade?
É potencial de ser visto, notado, seguido, contratado, votado, baseado no volume de aparições nas buscas e timelines.

O candidato precisa se preparar como um produto a ser explorado onde o potencial de tração de votos é o próprio candidato e suas ideias. O marketing político por si só não consegue fazer milagres. Se o produto for ruim, não vai ter sucesso, mesmo que tenha boas campanhas. Ao mesmo tempo o Marketing político digital é uma mola propulsora para o marketing eleitoral, que é uma outra ciência.

O que reina no Marketing digital do mundo político é o completo vazio de estratégia.

Candidatos sem perfil, sem conteúdo, sem empatia e sem conexão não vão conseguir votos suficientes. É preciso ser polêmico, autêntico, corajoso, expor feitos reais para comprovar que pode fazer o que fala e principalmente usar uma linguagem que fale diretamente com o público.

Também é necessário fazer sentido, ter empatia. A proximidade que as redes sociais, desde que devidamente impulsionadas com os filtros corretos, trazem ao candidato uma visibilidade enorme com o público. Qualquer falha pode fazer a sua audiência ir embora para sempre.

Sites e blogs são importantes para apresentar o candidato de maneira mais estruturada, sua história de vida e suas ideias e até um plano de governo ou de atua;cãi. Quando o público avança no interesse, ele procura esses canais.

Depois do marketing político digital feito com cuidado ao longo do tempo, de maneira estruturada e estratégic, aí vem o marketing eleitoral. O problema é que 90% dos candidatos pulam etapa e fazem marketing eleitoral achando que estão fazendo marketing digital. Marketing digital é aderência feita ao longo do tempo, marketing eleitoral é o pedido de foto.

Dito isso, o que não pode faltar em uma campanha de marketing político digital em 2022? Vejamos:

· Estratégia

É importante pesquisar os concorrentes e referências, para criar uma marca. Defina o público alvo e planeje o conteúdo para médio prazo, escolhendo os canais que vai trabalhar. Após, crie os canais digitais.

· Conteúdo para performance

Na hora de planejar as campanhas é o momento de produzir os conteúdos e anúncios. Publique nos canais digitais e faça campanhas patrocinadas, monitorando os resultados para otimização.

O marketing não vai fazer milagres se o produto não for bom, como já dissemos. A missão do político é apresentar suas ideias e campanhas para o público qualificado, com a mensagem correta para criar um tipo de desejo de consumo.

O marketing deve levar a mensagem ao público qualificado, filtrado minuciosamente de acordo com o perfil do candidato e potencial de engajar, reter e converter.

As estratégias e ferramentas já consolidadas no marketing digital são a base para as campanhas online na política também. Escolha os canais apropriados e atente-se pois erros na estratégia ou performance causarão um grande prejuízo pela não eleição.

Leave Your Comment